Nov
25

Luz deve refletir imagem da marca

By Nomina Design  //  colunas, World Fashion + Varejo  //  Comments Off on Luz deve refletir imagem da marca

Muito além de sua função técnica na arquitetura, a iluminação é uma das principais ferramentas do visual merchandising. Ela pode transformar a cena, criar uma atmosfera, atrair o olhar, influenciar no humor e, com certeza, provocar emoções.

Claro e Escuro, um recurso intimista

Entre os recursos que se pode construir com as técnicas de iluminação está a quantidade de luz que incide no ambiente. O seu excesso ou escassez diz muito a respeito da impressão que se deseja causar no espectador.

A loja de lingerie Undress me, em Kent, Inglaterra, destaca-se de seus vizinhos pela penumbra criada em seu interior, de onde apenas alguns flashes de luz saem da vitrine. O clima é de um “bordel chic” com performances de modelos vivos. O efeito de meia-luz é produzido por arandelas fixadas nas paredes, irradiando luz de lâmpadas incandescentes, o que cria uma atmosfera intimista e exclusiva, fazendo com que o cliente se aproxime de cada produto em exposição.

Efeitos visuais

A loja do MoMA, Museum of Modern Art, em Nova York, tem sua iluminação baseada na icônica lâmpada fluorescente tubular. Os tubos são visíveis através do material translúcido instalado no teto e nas paredes, e se repetem com regularidade criando uma textura visual. Este recurso, chamado de backlight, também foi utilizado nos nichos de exposição, onde as diferentes formas e materiais dos produtos à venda tornam-se mais interessantes ao serem revelados através de suas silhuetas.

Um efeito sutil de estratificação foi obtido com tubos verticais de neon embutidos nas estruturas frontais dos nichos e as colunas de ferro fundido da loja foram revestidas com lâminas de vidros verdes jateados e iluminados internamente por fibra ótica.

Natural ou Artificial definem o bem-estar

A iluminação natural é uma grande aliada das marcas com forte apelo do lifestyle. Claraboias, átrios, bay windows, tetos retráteis e vitrines trazem a luz do dia para dentro da loja, o que cria uma sensação de bem-estar e contato com o mundo externo, além de reavivar as cores naturais dos produtos. Motivo este, inclusive, que elevou o número de estabelecimentos com grandes painéis de vidro em suas fachadas.

Luzes esculturais

A White Gallery, em Roma, é uma loja italiana com conceito de galeria de arte. São 5 mil m2 com uma seleção de moda, acessórios, livros e restaurante. O principal elemento de design é uma luminária escultural denominada Fluxus que fica suspensa no teto e flui pelo espaço como uma malha tricotada. Esse ponto de “tricô”, criado pelo designer Karim Rashid, é quase uma instalação de vidro murano que, ao ser “tecido” pela artista plástica Michela Vianello, recebeu a forma de uma escultura.

A empresa Andromeda fabricou o Fluxus com 8 mil peças de vidro em cores que variavam entre o preto, branco e três tons de cinza. A escultura cobre 60 m2 do ambiente com 5 mil lâmpadas halógenas embutidas, e ainda filtra a luz natural que entra pela enorme claraboia existente na loja. O efeito da luz natural sobre o vidro colorido cria movimento para a imensa peça, que já se tornou símbolo da White Gallery.

Luz cria memória visual

Fachadas, vitrines e letreiros se transformam ao anoitecer. E é neste momento que a iluminação cumpre um papel muito importante. A arquitetura do prédio, em diversos casos, faz parte da identidade de uma marca e é ícone na construção de sua imagem. Muitos têm valor histórico, como os que abrigam a Le Bon Marché e a Printemps, ambas em Paris, assim como a Harvey Nichols e a Harrods (foto abaixo), em Londres.

A iluminação em suas fachadas molda as formas e acende a atenção não só para a arquitetura, mas também para a sua marca, por 24 horas. Os períodos de campanhas promocionais, em especial o Natal, são quando essas construções se transformam em grandes vitrines para as marcas.

Ponto focal

Seja em Tóquio, Barcelona, Londres, Paris ou Milão, a marca de calçados espanhola Camper utiliza o mesmo elemento chave para a exposição dos calçados: uma ilha central iluminada por luminárias pendentes – esta é a sua marca. Cada loja recebe um tipo de projeto criativo para dar destaque à iluminação. Pendentes em terracota foram desenvolvidos exclusivamente para a loja de Londres. Na de Paris, as luminárias vestem calças, bermudas e saias para dar destaque à mesa central de calçados. Já no caso de Tóquio, luminárias espelhadas pendem de um forro dourado.

Fotos: Divulgação

Por Noemi Saga, diretora de criação da Nomina Design.
Esse texto foi publicado na edição 30 da revista World Fashion + Varejo, na coluna + Sua loja.

Comments are closed.