Apr
22

Dicotomias no mundo da moda

By Nomina Design  //  colunas, World Fashion + Varejo  //  Comments Off on Dicotomias no mundo da moda

No fértil campo da moda, inovar é mais do que necessário, pois faz parte da dinâmica da criação, do business e da arquitetura das marcas.

Após dez anos de atuação no mercado da moda, a dupla Lazaro Hernandez e Jack McCollough, designers e fundadores da Proenza Shouler, abriram em abril de 2012, a primeira loja da marca. Seria possível  descrevê-la como a “loja das dicotomias”…

 

DICOTOMIA 1

INTERIOR VERSUS EXTERIOR DA LOJA

Projetada pelo arquiteto David Adjaye, a loja situada entre as consagradas marcas de luxo como Dolce Gabanna, Jil Sander, Celine, Chanel e Oscar de La Renta na Madson Avenue, em Nova Iorque, combina, em oposição à requintada e elegante rua, materiais rústicos, duros e pesados no seu interior.

DICOTOMIA 2

MATERIAL BRUTO E ESCURO VERSUS ELABORAÇÃO OBSTINADA COMO SUPORTE

A madeira é bruta e escura, mas impecavelmente alinhadas. Assim, ocultam luminárias no teto, além de se transformar em grandes biombos que suportam prateleiras para os produtos leves e coloridos da marca.

ProenzaShouler_Madeiras_blog

DICOTOMIA 3

PRESERVAÇÃO VERSUS  INOVAÇÃO NA FACHADA

Com intuito de preservar fachada da construção antiga – e na contramão da tendência das enormes vitrines que atingem até o limite de dois andares…. -, as pequenas e baixas janelas nos 02 pisos da loja foram mantidas e utilizadas como vitrines. E o que poderia ser uma barreira tornou-se ponto de partida para fazer surgir  criativas ‘vitrines-cabines’ que lembram muito instalações, tão comuns no campo da arte. Imaginem: a bolsa PS1 da coleção aparece encravada em um grande bloco de gelo que aos poucos se desfaz aos olhos dos transeuntes. Enquanto isso, a caixa que suporta a instalação se enferruja… Longe de uma vitrine de moda.

FachadaVitrine _blog

 

DICOTOMIA 4

MATERIAL PESADO E OXIDADO VERSUS LEVEZA E DRAMA NA ENTRADA

Se as “vitrines-cabines” são diminutas, embora notáveis, o frontal da Proenza Shouler  exibe o portal  que constitui, este sim, o verdadeiro convite a entrar. A imensa chapa de aço oxidado, instalado na altura dos dois pisos da loja, torna-se visualmente muito leve, graças aos recortes que criam um dramático jogo de luz e sombra, formando uma interessante geometria sobre o piso de concreto cinza.

 

DICOTOMIA 5

MATERIAL RÚSTICO VERSUS BRILHO NO PÁTIO E NO PISO SUPERIOR

Este espaço, chamado de “pátio” pelo arquiteto David Adjaye, possui o pé direto duplo e as paredes de tijolos aparentes. Um rigoroso estudo e pesquisa foram feitos para que o visitante não percebesse a transição do tom de cinza da calçada empoeirada com o piso acabado em concreto do seu interior. A semelhança se encerra na cor quando o piso se torna polido, e rústicos cactos plantados em grandes vasos dão o tom do que se vê adiante, no interior da loja.

No piso superior, parede e piso foram revestidos por placas de concreto pré-moldados. Este material utilizado como base em construções, na Proenza Shouler se torna um fino acabamento com seu intenso polimento.

ProenzaShouler_Patio_blog

DICOTOMIA 6

LUXO VERSUS CASUAL

Na verdade esta seria a primeira dicotomia da marca. Pois está no DNA de seus produtos.

Desde o seu início, a etiqueta da dupla sempre teve grande aprovação e o trabalho dos designers tem exercido um papel importante para revigorar o mercado da moda americana com criações que fundem o trabalho artesanal e atenção aos detalhes com a inspiração na arte e cultura jovem contemporânea. Tais características dicotômicas para o luxo, definem a marca e está presente no conceito do seu Store Design, onde a rusticidade versus a elaboração e atenção aos detalhes andam juntas.

 

Fotos: Divulgação

Por Noemi Saga, diretora de criação da Nomina Design

Esse texto foi publicado na edição 141 da revista World Fashion+Varejo, na coluna +Sua Loja

 

 

 

 

Comments are closed.